Cronologa básica de Filosofia

CRONOLOGIA BÁSICA DA FILOSOFIA

  • séc. VI a.C.: Início da filosofia ocidental com Tales de Miletopré-socráticos.
  • fim do séc. VI a.C.: Morte de Pitágoras.
  • 450 a.C. Nasce Diotima de Mantinea.
  • 399 a.C.: Sócrates condenado à morte em Atenas.
  • 387 a.C.: Platão funda a Academia em Atenas, a primeira universidade do planeta.
  • 335 a.C.: Aristóteles funda o Liceu em Atenas, escola rival da Academia.
  • 324 d.C.: O imperador Constantino muda a capital do Império Romano para Bizâncio.
  • 375 Nasce Hipátia de Alexandria.
  • 400 d.C.: Santo Agostinho escreve Confissões. A filosofia é absorvida pela teologia cristã.
  • 410 d.C.: Roma é saqueada pelos visigodos.
  • 529 d.C.: Fechamento da Academia em Atenas, pelo imperador Justiniano, marca o fim da era greco-romana e consolida a entrada na Alta Idade Média.
  • meados do séc. XIII: Tomás de Aquino escreve seus comentários sobre Aristóteles. Era da filosofia escolástica.
  • 1098 d.C. – Nasce Hildegarda de Bingen.
  • 1453: Queda de Bizâncio para os Turcos, fim do Império Bizantino.
  • 1492: Colombo chega à AméricaRenascimento em Florença e renovação do interesse pela aprendizagem da língua grega.
  • 1543: Copérnico publica Sobre as revoluções dos orbes celestes, com um modelo matemático no qual a Terra gira em torno do Sol.
  • 1633: Galileu é forçado pela Igreja a abjurar a teoria heliocêntrica, até que (e se) surgissem evidências conclusivas dessa hipótese.
  • 1641: Descartes publica as Meditações, início da filosofia moderna.
  • 1677: A morte de Espinoza permite a publicação da Ética.
  • 1687: Isaac Newton publica os Principia, introduzindo o conceito de gravidade.
  • 1689: Locke publica o Ensaio sobre o entendimento humano. Início do empirismo.
  • 1710: Berkeley publica os Princípios do conhecimento humano, levando o empirismo a novos extremos.
  • 1716: Morte de Leibniz.
  • 1738: Maria Gaetana Agnesi escreve em latim a obra “Propositiones philosophicae” (Proposições Filosóficas).
  • 1739-40: Hume publica o Tratado sobre a natureza humana, conduzindo o empirismo a seus limites lógicos.
  • 1776: Morre David Hume. Provavelmente de Câncer.
  • 1781: Kant, despertado de seu “sono dogmático” por Hume, publica a Crítica da razão pura. Início da grande era do idealismo alemão.
  • 1807: Hegel publica A fenomenologia do espírito: apogeu do idealismo alemão.
  • 1818: Schopenhauer publica O mundo como vontade e representação.
  • 1844: Marx escreve os manuscritos de filosofia e economia que dão origem a teoria Marxista.
  • 1879: Gottlob Frege, publica a *Begriffsschrift*(*Conceitografia* ou *Ideografia*), um marco na história da Lógica e da tradição posteriormente conhecida como filosofia analítica.
  • 1892: Gottlob Frege, publica *Uber Sinn und Bedeutung* (*Sobre Sentido e Referência*).
  • 1889: Nietzsche, que afirmou que Deus estava morto* (*há controvérsias, favor verificar em “discussão”, “quanto a cronologia”).
  • 1898: G.E.Moore publica “The Nature of Judgment”, uma das obras que inaugura a tradição da filosofia analítica na Inglaterra.
  • 1903: Moore publica Principia Ethica.
  • 1903: Bertrand Russell publica The Principles of Mathematics.
  • 1905 Nasce Ayn Rand, fundadora da filosofia do Objetivismo.
  • 1905: Bertrand Russell publica seu artigo ‘On Denoting’, em que expõe pela primeira vez sua teoria das descrições definidas.
  • 1910: Bertrand Russell e A.N. Whitehead publicam o primeiro volume de Principia Mathematica.
  • 1921: Wittgenstein publica o Tractatus logico-phiosophicus, advogando a “solução final” para os problemas da filosofia.
  • década de 1920: O círculo de Viena (capitaneado por Rudolf CarnapMoritz Schlick, entre outros) apresenta o positivismo lógico.
  • 1927: Heidegger publica Ser e tempo, anunciando a ruptura entre a filosofia analítica e a continental.
  • 1928: Rudolf Carnap publica Der logische Aufbau der Welt.
  • 1930: Kurt Gödel publica “The Completeness of the axioms of the functional calculus of logic”
  • 1931: Gödel publica “On formally undecidable propositions of Principia Mathematica and related systems I”.
  • 1934: Simone de Beauvoir escreve o primeiro romance explorou os dilemas existencialistas da liberdade, da ação e da responsabilidade individual, temas que abordou igualmente em romances posteriores.
  • 1937: Carnap publica The Logical Syntax of Language.
  • 1942: Camus publica “O Mito de Sisifo” onde ele começa a desenvolver filosoficamente o conceito do Absurdo, retomando criticamente o pensamento dos filósofos anteriores a ele que também questionaram sobre o absurdo da existência.
  • 1943: Sartre publica O ser e o nada, avançando no pensamento de Heidegger e instigando o surgimento do existencialismo.
  • 1950: Carnap publica “Empiricism, Semantic and Ontology”.
  • 1950: W.V.O.Quine publica “Two Dogmas of Empiricism”, que contem um rejeição da distinção análitico/sintético.
  • 1950: Peter Strawson publica “On Referring”, criticando “aquele paradigma da filosofia”(como disse Frank Ramsey), a teoria das descrições definidas de Russell.
  • 1951: Hannah Arendt escreve o primeiro livro “As origens do totalitarismo” consolida seu prestígio como uma das figuras maiores do pensamento político ocidental. Arendt assemelha de forma polémica o nazismo e o comunismo, como ideologias totalitárias.
  • 1952: Camus publica “O Homem Revoltado” onde analisa historicamente o conceito de revolta e critica ferozmente o marxismo. Este livro marca o rompimento definitivo de sua amizade com Sartre (que defendia uma colaboração com a URSS), com o qual Camus não podia concordar diante das noticias que saiam por baixo da cortina de ferro.
  • 1953: Publicação póstuma de Investigações filosóficas, de Wittgenstein. Auge da análise lingüística.
  • 1954: É publicado Doença Mental e Psicologia, de Michel Foucault.
  • 1955: Morre Teilhard de Chardin, após a publicação de sua obra prima “O Fenômeno Humano”
  • 1959: Strawson publica Individuals.
  • 1960: Morre Albert Camus em um acidente de carro.
  • 1962: Thomas Kuhn publica The Structure of Scientific Revolutions.
  • 1965: Karl Jaspers publica “Kleine Schule Des Philosophischen Denkes” (Introdução ao pensamento filosófico) série de pequenos ensaios feitos para um programa de televisão da Baviera.
  • 1969: Morre Karl Jaspers
  • 1970: Morre Bertrand Russell.
  • 1971: Saul Kripke publica “Identity and Necessity”.
  • 1972: Kripke publica a primeira edição de Naming and Necessity.
  • 1975: Hilary Putnam publica “O Significado do ‘Significado'”.
  • 1977: David Kaplan profere as conferências publicadas mais tarde (1989) com o título Demonstratives–An Essay on the Semantics, Logic ,Metaphysics, and Epistemology of Demonstratives and other Indexicals.
  • 1979: Tyler Burge publica “Individualism and the Mental”. Stanley Cavell publica The Claim of Reason.
  • 1980: Richard Rorty publica Philosophy and the Mirror of Nature.
  • 1980: Xavier Zubiri publica Inteligencia Sentiente: Inteligencia y Realidad
  • 1980: Kripke publica a segunda edição de Naming and Necessity.
  • 1980: Morre Jean-Paul Sartre.
  • 1982: Kripke publica Wittgenstein on Rules and Private Language.
  • 1985: Bernard Williams publica Ethics and the Limits of Philosophy.
  • 1994: Robert B. Brandom publica Making It ExplicitJohn McDowell publica Mente e Mundo.
  • 1998: João Paulo II publica Fides et Ratio
  • 1999: Patrick Glynn publica o livro God the Evidence: The Reconciliation of Faith and Reason in a Postsecular World.
  • 2007: Morre Richard Rorty.

 

 

Anúncios
  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: